PRINCÍPIO FAZER O DESTINO

 

 

"Ao falar em destino, devo esclarecer primeiramente que as pessoas confundem predestinação com destino. A diferença, no entanto, é radical. Devemos entender por predestinação certas condições a que estamos sujeitos an­tes mesmo do nascimento, ao passo que o destino depende inteiramente do homem.

A predestinação é algo atribuído a uma pessoa em caráter definitivo e, de maneira alguma, pode ser mudada. Já o destino é livre, dentro dos limites da predestinação, e, depen­dendo do esforço de cada um, pode-se atingir o nível mais alto ou, ao contrário, decair ao nível mais baixo.

Assim, cada um pode traçar o seu destino. A consciência desse fato permite transformar o pessimismo em otimismo."

Mokiti Okada

 

 

Algumas pessoas atribuem a sua felicidade ou infelicidade ao destino, como se ele já estivesse traçado, cabendo a nós, apenas seguir um script. Ao contrário, as evidências demonstram que somos seres dotados de livre arbítrio, que fazemos escolhas. Mais do que isso, não temos como fugir delas. Mesmo quando não as fazemos conscientemente, estamos exercendo um tipo de escolha. Trata-se de um grande privilégio, assim como também algo rigoroso, pois somos responsáveis por elas. Através de nossas escolhas, construímos o nosso destino. Ele depende de nós, podendo-se assim transformar uma situação indesejável em algo que almejamos.

 

E o predestino? Sendo algo que não podemos mudar, não devemos considerar como sendo muitas coisas. Talvez o local e a família que nascemos, a raça, as características genéticas que herdamos e talvez alguns outros fatores. É provável que não consigamos identificar todos eles. Será que está predestinada a pessoa com quem casaremos e teremos filhos, um acontecimento marcante, as profissões que vamos exercer ou a data de nossa morte? Talvez alguns destes fatores estejam determinados por uma força maior e outros não, talvez estejam para algumas pessoas e não para outras. Podemos supor que existem tendências que poderão se confirmar ou não, de acordo com o nosso livre arbítrio. Desta forma, a pergunta a nos nortear seria: temos como transformar uma situação através de nossas ações? Se sim, tal fato está no âmbito do destino e é nossa responsabilidade agir, mesmo sem ter o controle completo de seus resultados.

 

Tal consciência nos coloca exatamente no local onde precisamos estar: na direção da nossa vida, fazendo as nossas escolhas, cultivando sonhos, estabelecendo objetivos e metas e fazendo a nossa parte, na construção do nosso próprio destino.

Interessado? Entre em contato.

Nome
Email
Telefone
Mensagem